O Portal do Geólogo
19/6/2019 20:47:58

O futuro do minério de ferro



Publicado em: 14/12/2015 15:08:00

Como discutido, inúmeras vezes no Portal do Geólogo, a guerra do minério de ferro e seus efeitos colaterais, como a queda dos preços, não irão matar a mineração.

Por mais destrutiva e perniciosa que seja a avareza de poucos, que gerou a desgraça de tantos, no final deste capítulo negro da mineração, algumas empresas irão sobreviver.

Não só sobreviver, mas auferir lucros enormes ao controlar um mercado bilionário, o maior da mineração moderna.

Em decorrência da guerra muitas minas e empresas tiveram que fechar as portas, deixando de produzir centenas de milhões de toneladas de minério pouco competitivo e de alto custo. Os chineses, que eram os maiores produtores mundiais, mas também os menos eficientes, sofreram na carne os efeitos devastadores da queda dos preços da commodity: fecharam em massa.

Somente neste ano o preço já caiu mais de 45% chegando aos US$38/t, um preço que inviabiliza a maioria das jazidas e dos produtores mundiais.

Mas, como sabemos, existe uma minoria que produz enormes quantidades de minério de ferro a custos baixíssimos.

É o triunvirato do ferro, composto pelas três gigantes Vale, Rio Tinto e BHP.

A partir de agora o Triunvirato do ferro, vai dividir, quase sozinho, um mercado de 1 bilhão de toneladas de minério de ferro.

Os lucros serão monstruosos, já que essas mineradoras excedem em qualidade e competência produzindo minério de baixíssimo custo operacional, que se aproxima dos US$10 por tonelada.

Depois da guerra do minério de ferro começa agora a consolidação dos vencedores que se preparam para reduzir e não aumentar a produção.

É que com a competição morta e fora do jogo, que os vencedores irão repartir 75% de um mercado mundial gigantesco. A partir de agora eles poderão se dar ao luxo de dosar a quantidade exata assim como a qualidade do minério de ferro a ser colocado no mercado.

Com isso essas empresas passarão a controlar, depois de muito tempo, os preços do minério.

É exatamente isso.

A Vale já declara que vai atrasar a entrada em produção da jazida S11D. Uma decisão sensata, pois acelerar a produção de seu melhor minério para ser vendido a preços minimalistas é uma estratégia predatória e prejudicial à Vale e ao país.

A Rio e a BHP já estão, também, reduzindo a produção dos próximos anos, entrando, consequentemente , na estratégia da “dosagem” do minério de ferro.

Em breve, como resultado desta nova tática, os preços começarão a subir aumentando, mais ainda, os lucros do Triunvirato.

Com o controle de preços, qualidade e da quantidade veremos um novo período de jugo mundial: um verdadeiro monopólio do minério de ferro.

Nesta fase que se aproxima é altamente improvável que novos projetos consigam passar o crivo econômico e deslocar os minérios produzidos pelo Triunvirato.

É a mineração monopolista ressurgindo das cinzas.




Autor:   Pedro Jacobi - O Portal do Geólogo

  

 


editoriais ferrosos mercados vocesabia    5507
12.000 ANOS DE ABANDONO  um livro de Pedro Jacobi

Caro usuário do Portal do Geólogo
Se você gosta de descobertas arqueológicas inéditas no meio da Amazônia vai gostar do livro que estou lançando. É um não ficção sobre uma pesquisa real que estou fazendo.

Com o avanço do desmatamento e com o auxílio da filtragem digital em imagens de satélites, descobri nada menos do que 1.200 belíssimas construções milenares, no meio da Amazônia — totalmente inéditas.

São obras pré-históricas, algumas datadas em 6.000 anos, incrivelmente complexas e avançadas — as maiores obras de aquicultura da pré-história que a humanidade já viu.
Neste livro você se surpreenderá com essas construções monumentais, grandiosas e únicas, feitas por aqueles que foram os primeiros arquitetos e engenheiros do Brasil.
Trata-se de importante descoberta arqueológica que vai valorizar um povo sem nome e sem história. Um povo relegado a um plano inferior e menosprezado pela maioria dos cientistas e pesquisadores.

Dele quase nada sabemos. Qual é a sua etnia, de onde veio, quanto tempo habitou o Brasil e que língua falava são pontos a debater.
No entanto o seu legado mostra que ele era: muito mais inteligente, complexo e tecnológico que jamais poderíamos imaginar.
Foram eles que realmente descobriram e colonizaram a Amazônia e uma boa parte do Brasil.
E, misteriosamente, depois de uma vida autossustentável com milhares de anos de uma história cheia de realizações eles simplesmente desapareceram — sem deixar rastros.
Para onde foram?

Compre agora!
O livro, um eBook, só está à venda na Amazon. Aproveite o preço promocional!


Jacobi Consultoria
Minerador, quer negociar a sua área, ganhar dinheiro com a mineração, atrair sócios estrangeiros ou pesquisar os minérios em sua área? Por que esperar mais?

Só para você: veja as matérias que selecionamos sobre o assunto:

Será que já chegamos ao minimo Solar e a uma nova Mini Era Glacial? 3/5

Ser Geólogo 6/8

Geologia é vida! 29/5

Baixíssima atividade solar: cientistas apontam para a possibilidade de uma nova mini era do gelo em poucos anos 24/4



RENCA: após 33 anos de inatividade e incompetência a Reserva Nacional do Cobre volta ao investimento privado 4/7

Mineração: as melhores apostas de 2016 20/1

S11D, o sonho da Vale, entra em produção 18/1

Exploração mineral: por que investir em zinco? 17/1

Brasil: a volta dos investimentos 17/1

Bons ventos na mineração: o minério de ferro explode em 2017 16/1

A ameaça de Pasadena: a vez e a hora de Dilma Roussef 20/11

Trump pode ser o catalizador de um novo boom na mineração 10/11

Efeito Trump: Minério de ferro em alta recorde 11/10

O Portal do Geólogo

Geologia e Mineração contadas por quem entende

Desde 27/3/2003

Não entendeu a palavra?

Pesquise o termo técnico!




Pesquise no universo do Portal do Geólogo!

Digite uma palavra na caixa abaixo e estará pesquisando centenas de milhares de matérias armazenadas no nosso site.

 

 

palavra com mais de 2 letras
O Portal do Geólogo    Editor: Geólogo Pedro Jacobi