O Portal do Geólogo
21/2/2019 09:04:16

Fatiando o novo Marco Regulatório da Mineração V



Publicado em: 12/5/2013 18:52:00

Por Pedro Jacobi
Ver LinkedIn

 

A Extinção do DNPM e os novos organismos

Dentre as propostas incluídas no Novo Marco Regulatório estão: a criação do Conselho Nacional de Política Mineral e da nova  Agência Nacional de Mineração. Atribuições antes delegadas ao DNPM, uma autarquia federal  brasileira, vinculada ao Ministério de Minas e Energia, serão redistribuídas, já que o DNPM será extinto.

A tabela a seguir mostra um sumário das principais responsabilidades do DNPM.

Atribuições do DNPM

O DNPM é o órgão governamental encarregado de gerir e fiscalizar o  exercício das atividades de mineração em todo o território nacional  cujas principais atribuições são:

I - promover a outorga, ou propô-la à autoridade competente, quando  for o caso, dos títulos minerários relativos à exploração e ao  aproveitamento dos recursos minerais e expedir os demais atos  referentes à execução da legislação minerária;

II - coordenar, sistematizar e integrar os dados geológicos dos  depósitos minerais, promovendo a elaboração de textos, cartas e  mapas geológicos para divulgação;

III - acompanhar, analisar e divulgar o desempenho da economia  mineral brasileira e internacional, mantendo serviços de estatística da  produção e do comércio de bens minerais;

IV - formular e propor diretrizes para a orientação da política  mineral;

V - fomentar a produção mineral e estimular o uso racional e  eficiente dos recursos minerais;

VI - fiscalizar a pesquisa, a lavra, o beneficiamento e a  comercialização dos bens minerais, podendo realizar vistorias,  autuar infratores e impor as sanções cabíveis, na conformidade do  disposto na legislação minerária;

VII - baixar normas, em caráter complementar, e exercer a  fiscalização sobre o controle ambiental, a higiene e a segurança das  atividades de mineração, atuando em articulação com os demais órgãos  responsáveis pelo meio ambiente, segurança, higiene e saúde  ocupacional dos  trabalhadores;

VIII - implantar e gerenciar bancos  de dados para subsidiar  as ações de política mineral, necessárias ao planejamento  governamental;

IX - baixar normas e exercer fiscalização sobre a arrecadação da  compensação financeira pela exploração de recursos minerais, de que  trata o § 1º do art. 20 da Constituição;

X - fomentar a pequena empresa de mineração; e

XI - estabelecer as áreas e as condições para o exercício da garimpagem em  forma individual ou associativa.

Como o texto que define as atribuições dessas entidades ainda não foi  publicado restam apenas as especulações.

Sabemos que o CNPM ou Conselho Nacional de Política Mineral será o órgão de  assessoria da Presidência da República. Caberá ao CNPM propor novas diretrizes e  ações para o setor assim como estudar, avaliar sugerir e criar novas políticas.  Ao Ministério de Minas e Energia (MME) caberá complementar a política do CNPM, o planejamento estratégico  plurianual, a responsabilidade pela outorga  da concessão de lavra e a  supervisão da Agência Nacional de Mineração (ANM) que fará a regulação,  fiscalização, negociação de conflitos e arrecadação do CFEM. Trocando em miúdos algumas atribuições do  DNPM passarão para o MME e outras à ANM.  

Caberá à ANM a identificação daquelas áreas concedidas e que nunca foram  trabalhadas adequadamente mas que continuam sendo controladas pelo requerente. A ANM irá substituir o DNPM e terá um Diretor Geral e quatro Diretores todos  nomeados pela Presidência da República. O quadro de funcionários do DNPM será  aproveitado.

Se a ANM conseguir acabar com os grandes latifundios da mineração Brasileira,  controlados em geral por grandes empresas do setor, e mais raramente por pessoas  físicas, terá feito um grande serviço à Nação.  Os latifúndios minerais  eram, antigamente, subterfúgios das grandes empresas como a Vale, Rio Tinto,  Anglo, BHP e outras para poder manter o controle de inteiras províncias  minerais. O mais famoso latifúndio mineral foi o de Carajás totalmente blindado  pela Vale por muitas e muitas décadas, o que acabou atrasando sobremaneira o  desenvolvimento da região e do Brasil. O mesmo foi feito pela Rio Tinto no Tapajós que por  cinco anos foi quase que totalmente controlado pela mineradora Inglesa.   Nas últimas décadas estamos assistingo um pequeno grupo de entidades literalmente sentar  sobre seus pedidos e alvarás de pesquisa. Essas empresas pouco ou nada fazem para  desenvolver o patrimônio mineral existente nos seus pedidos de pesquisa  procurando, isso sim, especular e negociar os seus pedidos ao invés de  prospectar e lavrar.

A CPRM continua agindo como o serviço geológico fazendo e distribuindo  estudos de geologia e hidrogeologia e de exploração mineral o que não é feito  pelo órgão atualmente.

Será também criado o Instituto da Autorização de Lavra, destinado a extração  de minérios independente da realização de pesquisa mineral prévia.

Pouco sabemos a respeito deste Instituto. No entanto sabemos que fazer uma  extração de minérios sem a realização de uma pesquisa prévia, de um estudo de  viabilidade econômica é sinônimo de fracasso e de dinheiro perdido. Talvez o IAL  só lide com minérios de lavra fácil como areia brita e cascalho, mas mesmo  nesses casos mais simples a lavra sem uma pesquisa prévia é muito arriscada.

Veja também:

 


Autor:   Pedro Jacobi - O Portal do Geólogo

 
12.000 ANOS DE ABANDONO  um livro de Pedro Jacobi

Caro usuário do Portal do Geólogo
Se você gosta de descobertas arqueológicas inéditas no meio da Amazônia vai gostar do livro que estou lançando. É um não ficção sobre uma pesquisa real que estou fazendo.

Com o avanço do desmatamento e com o auxílio da filtragem digital em imagens de satélites, descobri nada menos do que 1.200 belíssimas construções milenares, no meio da Amazônia — totalmente inéditas.

São obras pré-históricas, algumas datadas em 6.000 anos, incrivelmente complexas e avançadas — as maiores obras de aquicultura da pré-história que a humanidade já viu.
Neste livro você se surpreenderá com essas construções monumentais, grandiosas e únicas, feitas por aqueles que foram os primeiros arquitetos e engenheiros do Brasil.
Trata-se de importante descoberta arqueológica que vai valorizar um povo sem nome e sem história. Um povo relegado a um plano inferior e menosprezado pela maioria dos cientistas e pesquisadores.

Dele quase nada sabemos. Qual é a sua etnia, de onde veio, quanto tempo habitou o Brasil e que língua falava são pontos a debater.
No entanto o seu legado mostra que ele era: muito mais inteligente, complexo e tecnológico que jamais poderíamos imaginar.
Foram eles que realmente descobriram e colonizaram a Amazônia e uma boa parte do Brasil.
E, misteriosamente, depois de uma vida autossustentável com milhares de anos de uma história cheia de realizações eles simplesmente desapareceram — sem deixar rastros.
Para onde foram?

Compre agora!
O livro, um eBook, só está à venda na Amazon. Aproveite o preço promocional!

  

 


editoriais geologia polemicos vocesabia    139

Só para você: veja as matérias que selecionamos sobre o assunto:

  2013, um ano para ser esquecido 30/12

Barrick Gold, a gigante está de joelhos 29/12

A primeira datação de rocha feita em Marte 29/12

Erro crasso: os diamantes de 4,4 bilhões de anos não existem 28/12

2013, um ano ruim para a Vale 28/12

Fogo na plataforma da Petrobras corta a produção de 22.000 barris por dia 28/12

Vale em liquidação, arrecada US$153 milhões 28/12

O domínio dos BRICS: China a maior economia do mundo em menos de 15 anos, Índia em terceiro e Brasil em quinto. 27/12

Fracking revolucionando (também) a produção de óleo dos Estados Unidos 26/12

China planeja manter crescimento de 7,5% em 2014 26/12

OGX consegue acordo de US$1,5 bi 26/12

Feliz Natal e um excelente 2014 23/12

Aquífero gigante descoberto na Groenlândia 23/12

Gás de folhelhos: produção aumenta com novas tecnologias 23/12


O Portal do Geólogo

Geologia e Mineração contadas por quem entende

Desde 27/3/2003
As mais lidas
1 : Dele2maio2018 ...
2 : dele 4nov ...
3 : index ...
4 : aguahisteria ...
5 : deslizamentos ...
6 : dele-23maio17 ...
7 : dele abaixo de 200 24DEZ15 ...
8 : novoboomdaexploracao ...
9 : Santa Maria ...
10 : encontreiverbetes ...
Raridade - Calcita Ótica âmbar
Raridade à venda: calcita ótica âmbar

Não entendeu a palavra?

Pesquise o termo técnico!




Pesquise no universo do Portal do Geólogo!

Digite uma palavra na caixa abaixo e estará pesquisando centenas de milhares de matérias armazenadas no nosso site.

 

 

palavra com mais de 2 letras
O Portal do Geólogo    Editor: Geólogo Pedro Jacobi